Arquivo para dezembro 2010

” UM NATAL ABENÇOADO E CHEIO DE LUZ NOS CORAÇÕES DE TODOS !”

24/12/2010

Aquele velhinho sempre povoou os meus sonhos !

Ao acordar, eu olhava e não o via…

O saco de brinquedos era minha adoração!
Ao acordar, eu procurava e não o encontrava.
O sapato, na janela, continuava vazio…
Em cada aniversário dele, eu sonhava e buscava.
E os sinos repicando na torre da Igreja
Blém – blom…blém-blom… blém-blom
Pareciam me dizer: desilusão…desilusão…desilusão…
O tempo foi passando, a dor eu acalentando,
Até que entendi que o brinquedo era simbólico
Que o velhinho não existia
Que aquele, era o dia Salvaçao

Que Maria deu seu filho Jesus
para a nossa Redenção!
Com alegria percebi
que os sinos mudaram o som
que em mim agora ecoava
a palavra coração…coração…coração…
E o espírito do Natal, eu comecei a viver!

Mais um ano se completa e já podemos ver as luzes de natal  pelas milhões de casas da cidade. Essa prática, adotada por grande parte das famílias, é um reflexo direto de uma expressão cultural muito disseminada pela sociedade. Todos queremos que o Natal seja uma data especial, por isso nos esforçamos tanto em enfeitar as nossas casas, montar a árvore de natal e escolher presentes para cada pessoa que consideramos importante em nossas vidas.

Hoje todos do Blog  Bio Galera vieram desejar a todos um Feliz Natal!Que vocês possam ter a alegria de vivê-lo em sua plenitude!Um Ano Novo cheio de paz!Ouvindo sempre os sinos do amor fraterno,da solidariedade, da compreensão.

E nunca se esqueçam que as sementes da vida precisam ser semeadas com paz e amor,para que   assim, possam gerar o alimento que precisamos para viver.Viver com alegria,coragem e determinação de seguir adiante.Viver o presente  com sabedoria e plenitude ,para que o ontem seja um sonho de felicidade e cada amanhã  seja uma linda e nova  visão de esperança.


Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações…

 

Ah e também quero fazer um pedido a todos vocês : a cada dia nos deparamos com um noticiário cheio de catástrofes pequenas ou grandes ocorridas no planeta: enchentes, furacões, tsunamis, secas, terremotos, fome, doenças e muitas outras.Sabemos que a maioria delas é piorada pelas ações humanas insustentáveis feitas no passado e no presente.
E por isso convido a todos a se responsabilizarem pela causa ambiental e se tornarem atuantes na luta por um presente mais equilibrado e um futuro habitável para todos os seres existentes nessa Teia da Vida!

Mais uma vez um feliz Natal cheio de paz e alegria a todos !!!

 

Post by : Jack Araújo!!!


Anúncios

Filhotes fêmeas de chimpanzé ‘parecem brincar com bonecas’

22/12/2010

Filhotes fêmeas de chimpanzés parecem tratar pedaços de pau como bonecas, carregando-os até terem seus próprios filhotes

Cientistas americanos dizem que filhotes fêmeas de chimpanzés parecem tratar pedaços de pau como bonecas, carregando-os consigo até terem seus próprios filhotes.

Os pesquisadores, da universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts, e do Bates College, em Lewiston, Maine, dizem que filhotes machos se comportam dessa forma com muito menos frequência.

Filhotes fêmeas de chimpanzés parecem tratar pedaços de pau como bonecas, carregando-os até terem seus próprios filhotes

O estudo, publicado pela revista científica Current Biology, é o primeiro a obter evidências de espécies não humanas, selvagens, brincando com bonecas rústicas. O trabalho também é o primeiro a observar diferenças na escolha de brinquedos por animais selvagens de sexos diferentes.

Os especialistas acreditam que o comportamento observado pode ser um indício de que a diferença na forma como meninos e meninas brincam teria um fundo genético – ou seja, as crianças não estariam simplesmente imitando o comportamento de outras.

Biologia

Os cientistas especulam que o hábito de brincar com bonecas, entre os humanos, poderia ter origem no hábito de carregar objetos entre os primeiros macacos.

“Em humanos, há diferenças marcantes na forma como crianças de sexos diferentes brincam com brinquedos, e elas são incrivelmente similares em diferentes culturas”, disse a bióloga Sonya M. Kahlenberg, do Bates College.

“A socialização por adultos e outras crianças tem sido vista como a explicação principal, mas nosso estudo sugere que a biologia pode ter também um papel importante nas preferências por determinadas atividades”.

Bonecas

Kahlenberg e o biólogo Richard W. Wrangham, de Harvard, passaram 14 anos observando o comportamento de chimpanzés no Kibale National Park, em Uganda, na África.

Eles identificaram mais de cem exemplos de animais carregando pedaços de pau. Em muitos casos, as fêmeas filhotes não estavam usando as varetas para procurar comida ou brigar – como os macacos adultos às vezes fazem – ou por qualquer outra razão clara.

Alguns filhotes carregavam as varetas para o ninho para dormir com elas e, em uma ocasião, um filhote construiu um ninho separado para a vareta.

“Vimos alguns casos de jovens chimpanzés carregando os pedaços de pau por muitos anos, e como às vezes eles os tratavam como bonecas, queríamos saber se, de maneira geral, esse comportamento representaria algo como brincar com bonecas”, disse Wrangham.

“Se a hipótese das bonecas fosse correta, achávamos que as fêmeas deveriam carregar os pedaços de pau mais vezes do que os machos, e que os chimpanzés deveriam parar de carregar as varetas quando tivessem seus primeiros filhotes. Agora, observamos os jovens chimpanzés o suficiente para testar ambos os pontos”.

Kahlenberg e Wrangham observaram algumas fêmeas adultas carregando pedaços de pau, mas apenas antes de se tornarem mães pela primeira vez. As evidências apontaram vínculos claros entre as brincadeiras infantis e o comportamento adulto, uma vez que, em 99% do tempo, as fêmeas, e não os machos, carregam os bebês chimpanzés.

“Obviamente, em humanos, os amigos, pais e outros (membros do grupo) têm um papel importante em influenciar as preferências das crianças por diferentes tipos de brinquedos, e o mesmo pode acontecer com os chimpanzés”, disse Wrangham.

“Uma das coisas que tornam nossa descoberta tão fascinante é que existe pouca evidência de algo comparável em outras comunidades de chimpanzés. Isso levanta a possibilidade de que os chimpanzés estariam copiando uma tradição local de comportamento. Esse pode ser o caso de influências biológicas e sociais se combinando.”

Fonte: Uol Ciência e Saúde Notícias

Incríveeeeeeel né? Cada dia acho os chipanzés mais gente! kkkk Mais “gente” que muita “gente”.

Post by: Alzira Farias

Dia 25 está chegando, gostaria de desejar um ótimo natal a todos vocês. Sei que a maioria não está acessando muito, nas férias tem muita coisa pra fazer né? rsrs Mas gostaria de agradecer a visita de cada um de vocês, graças a vocês todo o nosso trabalho e esforço para manter o blog valeu a pena! Próximo ano estaremos aqui novamente, tentando fazer o melhor pra vocês.

Beijos.

“Abrolhos não combina com lixo”

21/12/2010

“Nós temos um débito imenso com nosso ecossistema marinho”.Por anos e anos o nosso mar foi visto como depósito de lixo. Se você mergulha em muitos lugares o lixo bate na sua cara no mar”, a declaração de Rômullo Melo, presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), ao O Eco na cerimônia de divulgação dos vencedores do Programa Petrobrás Ambiental ,ganhou números no Parque Nacional Marinho de Abrolhos, na Bahia. No  dia 24 de outubro, foi realizada a primeira coleta de lixo nas ilhas Redonda e Santa Bárbara. O grupo de 68 pessoas resgatou do fundo do mar e na costa do parque, em três horas de atividades, um total de 337,86 kg de resíduos. A quantidade, porém, representa apenas 1/5 do total que ainda precisa ser retirado.

Coleta de lixo em Abrolhos

“É muito grande a quantidade de lixo encontrado numa unidade de conservação como o Parque Nacional Marinho de Abrolhos, onde você tem tartarugas marinhas que muitas vezes confundem os sacos plásticos com algas e baleias jubarte que têm suas caudas presas em redes. Foi um número maior do que achávamos que iríamos recolher. E que pode representar uma ameaça a biodiversidade local”, alerta Kid Aguiar, geógrafo e educador ambiental do Instituto Baleia Jubarte.

Grá fico dos principais lixos que foram coletados em Abrolhos

Numa parceria entre o ICMBio de Caravelas, o Instituto Baleia Jubarte, a ONG Patrulha Ecológica, o Parque Nacional Marinho de Abrolhos, entre outros, a ação recolheu entre os resíduos até materiais vindos de outros países. São 8, 96 kg de lixo de procedência de 13 nações como EUA, Coréia, China, Inglaterra e até o Japão. Mas a grande quantidade vem mesmo do Brasil. Segundo Kid, ainda é difícil definir ao certo quais lugares do país mais depositam seu lixo em Abrolhos. Um levantamento revelou que o grande vilão nas águas baianas é o plástico, tendo sido recolhido com 76,9 kg, seguido do vidro, com 60,5kg. “As pessoas continuam achando que o mar é uma fonte infindável de recursos naturais e que todo o resíduo pode ser jogado para as águas de forma exagerada que não haverá consequencia para a qualidade e quantidade de vida que a gente tem no planeta”, critica ele.

Rômullo Melo acredita que uma mudança de mentalidade precisa vir à tona para que menos resíduos desçam para o fundo das nossas águas. “Precisamos rever nossa relação com o mar. Isso pressupõe repensar a ocupação da costa, organizar o processo de saneamento para que não vá lixo para o mar e principalmente material não orgânico de alta durabilidade e assim resgatar a qualidade do nosso sistema marinho em muitos lugares”, sugere. Melo disse ainda que o ICMBio pretende aumentar o pequeno número de 0,4% de unidade marinhas protegidas em toda a costa brasileira. “Nós vamos intensificar o processo de proposições de criação de unidades de conservação do ambiente marinho. Estamos acelerando nossos estudos para ampliar essas unidades”.

Enquanto essas medidas não surgem, o grupo em Abrolhos já se decidiu manter a limpeza do arquipélago. “Devemos continuar essa atividade com intervalos menores. Acho que assim conseguiremos sensibilizar a população local, regional e global para necessidade de se ter uma unidade de conservação mais preservada”.

Post by: Jacqueline Araújo

Fonte: Site Eco

É impressionante como essa triste realidade ainda acontece ,as pessoas possuem todos os meios de informações como jornais,revistas,tv, etc, mas parece que essas pessoas não estão muito preocupadas com isso.O que passa pela cabeça dessas pessoas ?Será possível que elas poderão ser sensibilizadas com a  causa ambiental?O que precisa ser feito para que revejam os seus conceitos?Sim,rever seus conceitos é uma etapa imprescindível quando se trata de “preservação”.

Tudo esta ai,todos sabem que jogar lixo no mar é algo que pode influenciar de modo totalmente negativo nos animais que ali vivem.Quase todos os dias vejo notícias de tartarugas que morrem sufocadas por arames e redes ,e não será nem um espanto se estas estiverem cheias de matérias como plásticos,pedaços de nylon, enfim,todos esses matérias que elas podem ingerir.Gente por favor,conscientizem ,esses materiais que vocês (estou falando em geral,pois não acredito que meus leitores façam esse tipo de ação)jogam no mar podem matar um animal,esses animais lindos e interessantes,que não sabem diferenciar o que é lixo de alimentos,por isso eles ingerem esses matérias e pagam preços as vezes  caro por isso.E não é justo que eles paguem a conta na nossa irresponsabilidade e principalmente pela falta de educação dessas pessoas.Todo esse lixo jogado no mar e um perigo,uma ameaça a nossa biodiversidade.

Postei essa matéria pois, achei ela bastante propicia a esse assunto e não quero falar apenas de Abrolhos,(que é simplesmente um local lindo)mas falar de uma forma geral ,falar de todo o nosso litoral.Imaginem só, se as pessoas jogam lixo em uma área que e preservada imaginem o que fazem em áreas que não são preservadas.Vocês não sabem o quanto me dói ver e falar desse assunto,eu que sou totalmente apaixonada pelo ambiente marinho e principalmente pelos animais que ali vivem.

Devemos sim,usar essa e tantas outras iniciativas que ajudam a deixar as NOSSAS praias mais limpas.medidas como coletar lixo semanalmente se possível ,ou ate mensalmente não importa,o importante é ajudarmos e principalmente tentarmos conscientizar as pessoas ,mesmo que seja o mínimo de pessoas  não importa.O importante é você colabora como puder.

Na minha cidade há esse programa de coleta de lixo nas praias e sempre que posso faço parte, é uma pena que essa iniciativa ocorre apenas alguns dias no ano…mas se você participa e sabe o quanto isso é importante,você vai levar pra vida toda e tenho certeza que assim como eu,toda vez que você for a praia e ver um lixo por perto você vai instintivamente pegar esse lixo e colocá-lo onde ele devia estar,no LIXO.Você pode achar isso pouco,mas medidas assim  ajudam e muito a preservar o nosso ecossistema.

Outra medida que para mim é sem sombra de duvidas a melhor e que somente com ela poderemos alcançar um nível de conscientização, é a EDUCAÇÃO. Sem sombra de dúvidas é a educação que começa com as crianças, e a melhoria na qualidade de educação nas escolas, é uma educação voltada também para a educação ambiental. Somente assim poderemos ajudar realmente a “salvar” o nosso planeta.Acredito realmente que toda discussão para a solução de qualquer problema no Brasil sempre começa e acaba na educação. Quando aprendermos a dar valor a essas pequenas coisas e atitudes é que teremos o alicerce necessário para a  formação de um mundo melhor.

Para todos vocês uma ótima semana!

 

 


Triplica número de afetados pelo clima no Brasil

16/12/2010

Em 2009, 5,8 milhões de brasileiros foram impactados por inundações, secas e vendavais, segundo o Atlas Nacional do Brasil, lançado pelo IBGE

A nova versão do Atlas Nacional do Brasil chamado agora de Atlas nacional do Brasil  Milton Santos, lançado no dia 14 deste mês, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),revelou que de 2007 a 2009 se triplicou o o número de brasileiros afetados por inundações, secas, vendavais e temperaturas extremas.

Neste edição, o livro, traz 548 mapas, 76 gráficos, oito tabelas, seis fotos e 14 imagens de satélite, todas atualizadas. Entre os destaques, do atlas estão os mapas referentes à cadeia produtiva como por exemplo, carne, algodão herbáceo e mandioca,alem de tratar de temas como a inserção do Brasil no cenário mundial, a desigualdade social, o acesso a informações, as redes geográficas e as fontes energéticas.

O aumento mais impressionante ocorreu no item inundações. Onde só em  2009, as enchentes impactaram 3,2 milhões de brasileiros.Comparando ao ano de 2007 onde 1 milhao de pessoas foram afetadas é realmente muita coisa

 

Em 2008 enchentes castigaram o estado de Santa Catarina

No item secas, o salto foi de pouco mais de 750 mil para cerca de 1,8 milhão.E  nos desastres com causas eólicas e temperaturas extremas, o número de afetados passou de 200 mil para 800 mil.

As informações deste  atlas foram divulgadas três dias após o fim da Conferência do Clima das Nações Unidas, realizada em Cancún,no México,onde se obteve apenas tímidos avanços,embora a conferencia desse ano tenha sido bem melhor e mais produtiva  do que a que ocorreu na Dinamarca.

Em sua sexta versão (onde  a primeira foi em 1937 e a quinta, em 2000) , a publicação desse ano mostra a evolução da proporção de vítimas e dos tipos de desastre distribuídos pelo território brasileiro no período de  2007-2009.O atlas revela, por exemplo, que Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Piauí foram os Estados que tiveram a maior proporção de habitantes afetados – entre 12,1% e 15,2%.

No ano passado, os gaúchos foram os mais afetados pelas secas. Do 1,6 milhão de habitantes que sofreram com desastres naturais no Estado, mais da metade enfrentou a falta de chuvas.No mesmo ano, os capixabas foram fortemente afetados pelas enxurradas.

Os números divulgados ontem abalam uma crença arraigada no senso comum: a de que o Brasil estaria livre de grandes tragédias naturais que afetam duramente outros países.


Território e Meio Ambiente é o nome de um dos quatro “eixos” do atlas, que, por determinação legal, leva o nome daquele que é considerado o maior geógrafo nascido no Brasil, Milton Santos (1926-2001).As paginas desse eixo, dissecam  questões como o  uso de agrotóxicos, espécies em extinção, reservas florestais, cobertura vegetal, biomas, queimadas, ameaças à biodiversidade – tudo referenciado em mapas coloridos do Brasil e dos Estados.

As fontes destas informações são do próprio IBGE e de  órgãos oficiais, do Instituto Chico Mendes à Fundação Nacional do Índio, abrangendo instituições internacionais, como o Banco Mundial.

Na mapa das Fontes de Ameaças à Biodiversidade, por exemplo, é possível ver a Concentração de Fontes de Ameaças.Em outras páginas é possível ver a representação da Poluição Industrial Potencial e do Uso de Agroquímicos.A primeira, com dados de setembro de 2010, mostra que os Estados que concentram mais poluentes são São Paulo e Minas Gerais. Um gráfico indica que o poluente industrial mais emitido no País é o monóxido de carbono (CO). Sozinha, a indústria metalúrgica responde pela emissão anual de 400 mil toneladas dessa substância. A segunda revela que São Paulo liderou, em 2005, (último dado disponível), o consumo de agrotóxicos, com 55 mil toneladas anuais.

Post by: Jack Araújo

Fonte:Jornal O Globo

Para quem se interessa e quer saber mais sobre o atlas ele pode ser  adquirido na loja virtual do IBGE   http://www.ibge.gov.br/lojavirtual/default.phpe nas livrarias consignadas  http://www.ibge.gov.br/lojavirtual/livrarias.php.

15/12/2010

As florestas cobrem 31% de toda a área terrestre do planeta e têm responsabilidade direta na garantia da sobrevivência de 1,6 bilhões de pessoas e de 80% da biodiversidade terrestre. Pela importância que têm para o planeta, elas merecem ser mais preservadas e valorizadas e, por isso, a ONU declarou que 2011 será o Ano Internacional das Florestas.

Segundo dados do Pnuma – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, as florestas representam 31% da cobertura terrestre do planeta, servindo de abrigo para 300 milhões de pessoas de todo o mundo e, ainda, garantindo, de forma direta, a sobrevivência de 1,6 bilhões de seres humanos e 80% da biodiversidade terrestre. Em pé, as florestas são capazes de movimentar cerca de $ 327 bilhões todos os anos, mas infelizmente as atividades que se baseiam na derrubada das matas ainda são bastante comuns em todo o mundo.

Para sensibilizar a sociedade para a importância da preservação das florestas para a garantia da vida no planeta, a ONU – Organização das Nações Unidas declarou que 2011 será, oficialmente, oAno Internacional das Florestas.

 

A idéia é promover durante os próximos 12 meses ações que incentivem a conservação e a gestão sustentável de todos os tipos de floresta do planeta, mostrando a todos que a exploração das matas sem um manejo sustentável pode causar uma série de prejuízos para o planeta. Entre eles:
– a perda da biodiversidade;
– o agravamento das mudanças climáticas;
– o incentivo a atividades econômicas ilegais, como a caça de animais;
– o estímulo a assentamentos clandestinos e
– a ameaça à própria vida humana.

Para saber a respeito dos eventos que serão realizados durante 2011, em homenagem ao Ano Internacional das Florestas, acesse o site oficial da iniciativa. No portal, ainda é possível divulgar as ações que você pretende promover nos próximos 12 meses em homenagem à causa.

 

As florestas cobrem 31% da área total.

As florestas são o lar de 80% da nossa biodiversidade terrestre.

As florestas são o lar de 300 milhões de pessoas ao redor do mundo

Post by:Jack Araújo

Fonte:Planeta sustentavel

OBS.: essa matéria foi toda retirada do Blog  da revista Abril ,para maiores informações acessem:http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/2011-ano-internacional-florestas-preservacao-manejo-sustentavel-612833.shtml

Bom né?adorei essa matéria,é sempre bom quando há medidas que ajudem a incentivar a conservação e a sensibilização para a  gestão ambiental e para o desenvolvimento sustentável de todos os tipos de florestas. .Espero que essa idéia seja a primeira de muitas outras que virão para celebrar a ação das pessoas para o gerenciamento sustentável das florestas do mundo.

Boa Semana para Todos!!!

 

O BioGalera Blog agora está também no orkut

14/12/2010

 

Oi gente hoje vim pedir para todos vocês leitores do BioGalera que acessem e participem da nossa comunidade no orkut,que foi feita exclusivamente para vocês,a comunidade do blog  BioGalera feita  somente com o intuito de reunir seus leitores e visitantes.Lá vocês poderam dar suas opiniões,sugestões de matérias e tirar suas dúvidas,fazer correções,entre outros.Além de conhecer mais sobre seus organizadores,,logo que isso também é importante rsrs.

 

 

Se você acessa o nosso blog, sinta-se bem-vindo também à nossa comunidade:

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=108659336

Post by:Jacqueline Araújo de Oliveira

Boa semana para todos !!!

Pérolas: jóias naturais

13/12/2010

Olá Biogalera, que saudade de escrever aqui pra vocês! Desculpem a ausência, mas como meus colegas já justificaram anteriormente, estavamos um pouquinho atarefados na faculdade.  Semana passada, estávamos em uma das praias aqui do Piauí, em um luau improvisado que fizemos e uma amiga me perguntou se eu sabia como era o processo de fabricação de uma pérola.  Quando estava explicando para ela, lembrei de vocês e achei interessante postar aqui aqui também, visto que muitas pessoas desconhecem como essas jóias tão preciosas se originam.

A maioria das jóias são confeccionadas usando-se metais preciosos e pedras preciosas encontradas no solo, porém as pérolas são encontradas dentro de uma criatura viva, a ostra. As pérolas são resultado de um processo biológico – é a maneira da ostra se proteger de substâncias estranhas. Quando um parasita invade seu corpo, ela libera uma substância chamada madrepérola, que se cristaliza sobre o invasor impedindo-o de se reproduzir. Depois de cerca de três anos esse material vira uma pérola. Sua forma depende do formato do invasor e sua cor varia de acordo com a saúde da ostra.

Portanto, uma pérola é uma substância estranha coberta com camadas de madrepérola. A maioria das pérolas que vemos nas joalherias são objetos bem redondos, e são as mais valiosas. Nem todas as pérolas se saem tão bem assim. Algumas pérolas possuem um formato irregular – estas são chamadas pérolas barrocas. As pérolas, como você provavelmente já notou, possuem grande variedade de cores, incluindo branca, preta, cinza, vermelha, azul e verde. A maioria das pérolas podem ser encontradas por todo o mundo, mas as pérolas pretas são nativas do sul do Pacífico.

As ostras não são os únicos moluscos que podem produzir pérolas:  mexilhões e amêijoas (espécies de mariscos) também produzem pérolas, mas esta é uma ocorrência muito mais rara. A maioria das pérolas são produzidas pelas ostras, tanto em ambientes de água doce quanto de água salgada.

PÉROLAS CULTIVADAS

Como em tudo na natureza, o homem também é capaz de interferir no processo de produção de pérolas, cultivando-as em seu benefício. As pérolas cultivadas são criadas pelo mesmo processo que as pérolas naturais, só que com a ajuda dos criadores.  O processo é o seguinte: o criador abre a concha da ostra e faz uma pequena fenda no tecido do manto. Pequenas irritações são então inseridas por baixo do manto. Em pérolas cultivadas em água doce, cortar o manto da ostra é o suficiente para induzir a secreção de madrepérola que produz uma pérola sem que para isso um corpo estranho tenha que ser inserido.

Porém, as pérolas que são induzidas a serem formadas (as cultivadas), tem um valor menor, do que as que são formadas naturalmente, ainda que sejam de mesma qualidade pelo fato de não serem tão raras.

Vou ser bem sincera, quando eu era criança e descobri como eram feitas as pérolas, meu sonho era colocar milhões de grãozinhos de areia dentro das ostras rsrs. Curioso como um grão de areia, algo tão comum na natureza pode se tornar uma peça tão preciosa e rara como a pérola não é? A natureza é mesmo incrível!

Espero que para aqueles que não sabiam como eram produzidas as ostras, este post tenha servido de auxílio.

Um beijo para todos vocês!

Entrem na nossa comunidade no orkut! O link está no menu a direita, lá em baixo! Basta clicar na imagem.

Fonte: Wikipédia, Uol Ciência

Post by: Alzira Farias