Ano de 2010 se iguala ao mais quente já registrado

Olá bioleitores me desculpem pela ausência é que estamos tendo umas semanas bem corridinhas na universidade, estamos cheias de trabalhos, seminários, provas e isso nos impedem um pouco de ficar sempre atualizando o blog. Mas vocês já sabem que sempre que posso venho postar algumas matérias interessantes para vocês.

E hoje vim postar pra vocês esta matéria que saiu no mês passado.Sobre o aquecimento do nosso planeta.Li e resolvi postar para vocês pois este é um assunto muito sério e bastante preocupante e devemos tomar medidas o quanto antes para tentar amenizar pelo menos o problema em nossas cidades.Se todos fizerem um pouquinho já será muito.


O ano de 2010, por enquanto, está empatado com 1998 como o mais quente já registrado, e o gelo do Ártico alcançou o seu terceiro menor nível, disseram cientistas dos Estados Unidos na quarta-feira (15).

A comparação entre 2010 e 1998 se refere aos oito primeiros meses do ano, com uma temperatura média global (incluindo superfícies terrestres e marítimas) de 14,7 ºC, ou 0,67 grau acima da média do século 20, segundo o Centro Nacional de Dados Climáticos dos EUA.

No hemisfério norte, este verão – junho a agosto – foi o segundo mais quente já registrado, atrás do de 1998, de acordo com o relatório.

Várias partes do mundo – especialmente leste da Europa, leste do Canadá e Extremo Oriente – tiveram mais calor que a média. A China teve seu agosto mais quente desde 1961, 1,1 ºC acima da média do período 1971-2000.

Por outro lado, Austrália, centro da Rússia e o sul da América do Sul tiveram mais frio do que o habitual.

Morsas em fuga – No Ártico, a cobertura de gelo sobre o mar atingiu sua menor extensão do ano em 10 de

setembro, segundo o Centro Nacional para os Dados da Neve e do Gelo dos EUA.

Desde que a medição começou, em 1979, houve menos gelo apenas em 2008 e 2007. Em 2009, a camada de gelo se recuperou e foi maior do que em 2010. Neste ano, ela chegou a medir 4,76 milhões de km 2, cerca de 630 mil km2 a mais do que no mínimo recorde de 2007.

Mesmo assim, foi apenas a terceira vez que a área gelada ficou aquém de 5 milhões km2.

Por causa desse encolhimento do gelo, milhares de morsas do Pacífico apareceram em terra, em vez de ficarem sobre os blocos de gelo, segundo a entidade ambientalista WWF (Fundo Mundial para a Natureza), citando observações do USGS (Instituto Geológico dos Estados Unidos).

Estima-se que 10 mil a 20 mil morsas tenham dado nas praias do Alasca nos últimos dias, segundo o biólogo Geoff York, do WWF.

Em condições normais, as morsas se alimentam em águas rasas nas plataformas continentais, usando o gelo marinho como “plataforma de pesca.” Recentemente, o gelo recuou para além das plataformas continentais, em águas profundas onde as morsas não conseguem pescar.

No longo trajeto até a costa, às vezes de mais de 600 km, as morsas enfrentam riscos como a predação por ursos polares ou esmagamento por outros animais do bando – as morsas se assustam muito facilmente e saem em disparada, como alces ou gado, segundo York.

Por outro lado, a presença de tantas morsas em terra pode ajudar os cientistas a estimarem com precisão a sua população, segundo Chad Jay, do Centro de Ciência do Alasca do Departamento de Pesquisas Geológicas.

A atual estimativa, baseada em um levantamento aéreo em 2006, é de 130 mil indivíduos, mas Jay estima que o número deva ser maior, porque a pesquisa não abrangeu certas áreas. (Fonte: AmbienteBrasil.com)

Outro fato triste é que a  geleira Touming Mengke, situada na província de Gansu, no noroeste na China, também está se  derretendo por efeitos das mudanças climáticas, informou  o jornal “China Daily”.


A Touming Mengke é a maior geleira da cordilheira de Qilian, em Sunan. Mas, devido ao aquecimento provocado pelos gases que agravam o efeito estufa, ela está sofrendo uma redução de seis metros a cada ano.

Nas últimas cinco décadas, a Touming Mengke, de 10,1 quilômetros de comprimento e que cobre uma superfície de 21,9 quilômetros quadrados, perdeu 300 metros.

Sua altura máxima é de 5.483 metros sobre o nível do mar e a mínima, de 4.260 metros, e se encontra situada no vale Laohu, na face norte da montanha Daxue, no distrito de Subei.

Da mesma forma que a Touming Mengke, outras geleiras da China estão sofrendo também as consequências do aquecimento global.

Fonte: AmbienteBrasil.com

Post:Jack Araújo

Um ótimo fim de semana para todos!!

Anúncios
Explore posts in the same categories: Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: