Arquivo para julho 2010

Espécie raríssima de lagosta de duas cores é capturada por pescador na Inglaterra

25/07/2010

Mais uma prova de como a natureza é perfeita. De como é bela e vasta. Encanta os olhos humanos com as milhares de formas com as quais se apresenta todos os dias. E ainda tem gente que não gosta eim? Não consigo entender.

Bom, essa raríssima espécie de lagosta, composta por duas cores (linda, por sinal) foi encontrada por um pescador na região de Yorkshire, na Inglaterra. Segundo o site onde ví essa notícia, a ocorrência dessa lagosta é de uma em cada 50 milhões. O exemplar foi chamado de Harley Quin, que faz alusão à Arlequina, a namorada do Coringa, do filme Batman. Deve ser porcausa das cores né? rsrs

Lagosta de duas cores raríssima encontrada por um pescador na Inglaterra.

Ela foi repassada ao centro de vida marinha de Scarborough. Segundo o porta-voz desse centro, Todd German, essa lagosta é especial e diferente das demais já vistas.

“Já houve lagostas de coloração incomum, mas esta é impressionante porque as duas cores estão separadas por uma linha que passa pelo centro da carapaça. Esta lagosta é a mais estranha que já se viu”, disse ao “Daily Mail” Todd German.

E ainda tem gente que se encanta mais pelo sabor desse bichinho, do que pela beleza visual dele em sí. Vá saber né!

Post by: Alzira Farias

Fonte: O Globo/Fernando Moreira

Anúncios

Salvem os chimpanzés! [2]

23/07/2010

Gente, tava lendo o Ciência Hoje da UOL e achei esse apelo super importante. É algo que vale a pena repassar a vocês e é uma causa bonita de ser abraçada.

O texto é da colunista Larissa Rangel.

Nossos primos mais próximos estão ameaçados. O alerta é da maior especialista no assunto, a primatóloga Jane Goodall, que estuda a espécie há 50 anos. Para garantir sua sobrevivência, é preciso recorrer à tecnologia e ao apoio da população local.

Julho de 1960. A jovem britânica Jane Goodall, uma apaixonada pela África ainda sem qualquer formação acadêmica, visita pela primeira vez o Parque Nacional Gombe Stream, na Tanzânia, para observar o comportamento dos chimpanzés, em expedição estimulada pelo antropólogo Louis Leakey, da Universidade de Cambridge (Reino Unido), de quem era assistente.

“Precisamos buscar avanços na ciência e na tecnologia se ainda quisermos salvar os chimpanzés”
Cinco décadas depois, Goodall é reconhecida como a mais importante especialista em chimpanzés do mundo e continua uma frequentadora assídua daquele parque, onde conduziu a maior parte de seus estudos de observação desses primatas.

No cinquentenário de sua expedição pioneira, a etóloga e primatóloga vem a público chamar a atenção para a ameaça que paira sobre nossos primos mais próximos.

“Precisamos mudar drasticamente nossa maneira de lidar com a natureza e buscar avanços na ciência e na tecnologia se ainda quisermos salvar [essa espécie]”, alerta o artigo que Goodall publica esta semana na revista Nature, em parceria com o especialista em conservação ambiental Lilian Pintea. A dupla clama por ações imediatas para salvar a espécie de extinção.

Durante todas essas décadas em que estudou os chimpanzés, Goodall fez descobertas cruciais para a primatologia. Diferentemente de qualquer outro cientista, ela deu nome a cada animal estudado e foi a única humana a conseguir viver entre eles.

Descobriu que esses animais podem ser tão agressivos e emocionais quanto nós – o que só vem corroborar estudos que apontaram a profunda semelhança fisiológica e genética entre as duas espécies (a diferença é da ordem de mero 1,5% do genoma).

Perspectiva sinistra

Goodall lamenta que, à medida que nosso conhecimento sobre os chimpanzés aumentou, sua ocorrência tem diminuído vertiginosamente. Estima-se que, em 1900, havia mais de um milhão de espécimes na África.

Hoje, apesar de esforços de conservação, apenas 300 mil permanecem nas selvas, muitos deles em populações fragmentadas ou isoladas. Os mais alarmistas preveem que eles estarão extintos na natureza em até 30 anos.

A maior ameaça aos chimpanzés é o desmatamento, como Goodall constatou sobrevoando o parque Gombe Stream. Para conter o ritmo crescente de derrubada da mata, defende ela, o apoio das populações vizinhas é essencial.

“A pobreza, aliada à falta de itens básicos como água limpa, saúde e educação e a métodos de cultivo não sustentáveis estavam causando uma seca e erosão terríveis”, contam Goodall e Pintea no artigo. “Se ajudássemos a população local a melhorar sua vida, eles poderiam se tornar nossos parceiros na conservação.”

Para isso, o Instituto Goodall, fundado pela especialista e que tem Lilian Pintea como diretora de conservação, desenvolveu um projeto que alia medidas de conservação tradicionais ao uso sustentável do solo e a tecnologias de sensoriamento remoto.

“Não há tempo há perder nessa batalha para salvar os chimpanzés”

Com base em imagens de satélite, foi possível determinar a distribuição espacial dos chimpanzés dentro e fora das áreas protegidas e determinar estratégias para um convívio harmônico entre esses primatas e a população local.

“Não há tempo há perder nessa batalha para salvar os chimpanzés”, concluem as autoras.

Fonte: UOL Ciência Hoje / Larissa Rangel

Post by: Alzira Farias

Propaganda com burro em pára-quedas

23/07/2010

Essa semana vi uma reportagem que me deixou muito zangada e acho que revoltou não só a mim como varias outras pessoas.Em seu blog de animais o colunista Leo Macedo comentou o fato.Então resolvi postar aqui no Bio Galera para vocês o post que ele postou em seu blog,que acho que exprime muito bem o fato ocorrido.

“Mesmo após ter vivenciado todo tipo de crueldade contra os animais, ao longo de minha jornada como ativista e protetora dos animais,ainda me surpreendo com a capacidade do ser humano em inventar maldades e abuso contra os animais”.Diz Macedo.

A população russa ficou em estado de choque quando viu um jumento subindo no céu azul sobre uma praia,no Mar de Azov,na Rússia meridional.

Acoplado a um paraquedas,o animal gritava de medo,para o desespero dos turistas da praia Golubitskaya.na região de Krasnodar,na Rússia,na semana passada.

Uma porta-voz da polícia regional disse que o burro foi parar no céu,como resultado de uma campanha publicitária criada por diversos empresários russos,para atrair banhistas à sua praia privada.

Ao invés disso,eles atraíram o horror dos banhistas e a polícia.
“As crianças gritavam e  choravam “,disse,Larisa Tuchkova.porta-voz da polícia regional.” Ninguém tinha cabeça para chamar a polícia .” As pessoas fotografaram e ligaram para as redações dos jornais”.

O burro foi arrastado vários metros,ao longo da beira do mar,no momento do pouso e foi retirado quase morto do local.

“O consolo é que as pessoas, a cada dia,no mundo inteiro, tomam consciência que animais não são brinquedos desprovidos de sentimentos e não se divertem mais com o sofrimento deles.Muito pelo contrario,atuam firmemente em busca de justiça e respeito”

Será que lá ainda não tem uma lei de proteção animal? Alguém sabe?

Fonte: Pete rede

Bye : Jack Araújo

Fungo reduz em 40% diversidade de anfíbios em parque no Panamá

21/07/2010

Trinta espécies de rãs desapareceram do Parque Nacional El Copé, no Panamá. Os animais morreram devido a uma epidemia causada pelo fungo Batrachochytrium dendrobatidis.

As rãs representavam 40% da biodiversidade de anfíbios da área. Muitas sobreviveram em regiões vizinhas, mas o fenômeno, descrito em artigo na revista científica “PNAS”, mostra a fragilidade da biodiversidade da região.

Dentre as espécies que desapareceram do parque estão uma rã toda preta, que se esconde sob folha e às vezes se enterra, e uma rã que vive no alto de árvores e plana.

Outras rãs que desapareceram ou correm grandes riscos de desaparecerem:

A rã Hylomantis lemur,com sua forte aplicação de delineador para olhos,desapareceu do parque EL Copé

A Craugastor punctariolus é endêmica do Panamá e, portanto, corre sério risco de extinção

A Hemiphractus fasciatus preda outras rãs e acabou no parque panamenho

A Ecnomiohyla miliaria é enigmática: vive no alto de árvores e pode planar! Infelizmente, sumiu do parque El Copé

A Cochranella euknemos, com sua pele translúcida, sumiu de seu hábitat no Panamá

Fonte:folha.com

By:Jack Araújo!!!

Dez coisas que você pode fazer para ajudar a salvar a Terra

16/07/2010

Olá gente,postando aqui rapidinho esse artigo super bacana…pois  torna-se o nosso ambiente mais verde  é mais fácil do que você pensa. Há pequenas coisas que você pode fazer todos os dias para ajudar a reduzir a emissão de gases estufa e causar menos impacto prejudicial ao meio ambiente,por exemplo.è sempre bom ressaltar que cuidar da Terra não é apenas uma responsabilidade – é um privilégio. Neste  espírito este post sugere 10 coisas que você pode fazer para ajudar a salvar a Terra.

1.Bom para começar prestem atenção na maneira como vocês fazem uso da água. As pequenas coisas podem fazer uma grande diferença. Como por exemplo,toda vez que vocês fecharem a torneira enquanto estiverem escovando os dentes, estaram fazendo algo muito bom. Tem um vaso sanitário com vazamento? Você pode estar desperdiçando 756 litros de água por dia [Fonte: EPA (em inglês)]. Tente beber água de torneira em vez de água engarrafada, assim, você não estará desperdiçando todas aquelas embalagens também(mas depois de filtrar a agua é claro). Lave suas roupas em água fria quando puder.

2. Deixe seu carro em casa. Se você conseguir ficar sem carro apenas duas vezes por semana, reduzirá as emissões de gases estufa em uma média de 720 Kg por ano [Fonte: EPA (em inglês)]. Aproveite as saídas para realização de pequenas tarefas como ir ao correio, a mercearia e ao sapateiro de uma única vez. Isso fará com que você economize gasolina etempo. Você também pode aderir ao dia mundial sem carro, para mostrar a importância disso…eu sei que é dificil ficar sem carro mas é por uma boa causa,principalmente se vocês morarem em cidade pequenas como a minha,onde tudo é mais perto.

3. Vá caminhando ou vá de bicicleta até o trabalho, à escola e a qualquer lugar que puder. Você pode reduzir a emissão de gases estufa enquanto queima algumas calorias, além de melhorar sua saúde. Se você não consegue caminhar nem andar de bicicleta, use veículos de transporte de massa ou faça uma viagem em grupo, em um carro particular, para o local de trabalho ou estudo. Cada carro que não estiver nas ruas faz diferença.

4. Recicle. Você pode ajudar a reduzir a poluição simplesmente jogando aquela lata de refrigerante em uma lixeira diferente. Se você estiver tentando escolher entre dois produtos, opte por aquele com menos embalagem. Se um prédio de escritórios com 7.000 trabalhadores, reciclasse todos seus refugos de papel de escritório durante um ano, seria o equivalente a tirar quase 400 carros das ruas [Fonte: EPA (em inglês)].

5. Adubo. Pense no quanto de lixo você faz em um ano. Reduzir a quantidade de dejetos sólidos que você produz em um ano significa ocupar menos espaço em áreas usadas como depósito de lixo, de modo que seu dinheiro gasto em impostos pode ser utilizado em alguma outra área. Além disso, a compostagem é um ótimo fertilizante natural. Compostagem é mais fácil do que você pensa.

6. Troque suas lâmpadas. Lâmpadas compactas fluorescentes (CFLs) duram 10 vezes mais do que uma lâmpada padrão e utilizam pelo menos dois terços a menos de energia. Se você estiver fazendo compras de novos utensílios domésticos ou até mesmo aparelhos eletrônicos de uso doméstico, procure produtos ENERGY STAR, os quais atenderam às diretrizes da EPA e do Departamento de Energia dos Estados Unidos em relação à eficácia em termos de energia. Em 2006, o programa ENERGY STAR economizou energia equivalente à retirada de 25 milhões de carros das ruas e economizou para os americanos 14 bilhões de dólares em custos com serviços públicos [Fonte: ENERGY STAR (em inglês)].

7. Torne seu lar mais eficiente em termos de energia (em inglês) e economize dinheiro. Limpe seus filtros de ar, de modo que seu sistema não tenha de trabalhar em tempo adicional. Obtenha um termostato programável, de modo que você não esteja desperdiçando energia quando não estiver em casa. Quando for dormir, reduza a regulagem do termostato – você não sentirá falta daqueles graus extras de calor ou de ar condicionado enquanto estiver dormindo.

8. Faça a manutenção de seu carro. Pneus não cheios diminuem a economia de combustível em até 3% e levam a um aumento de poluição e maiores emissões de gases estufa [Fonte: EPA (em inglês)]. O fato de não estarem cheios também aumenta o desgaste do pneu, de modo que você economizará dinheiro a longo prazo se fizer a verificação da pressão do pneu. Você também pode optar pelo motor flex e usar o etanol ao invés da gasolina.

Pneus não cheios diminuem sua economia de combustível e levam ao aumento da poluição

9. Dirija de modo mais inteligente. Diminua a velocidade – dirigir a cerca de 90 km/h em vez de 110 km/h na rodovia proporciona uma economia de até 6 quilômetros a cada 3,5 litros. [Fonte: Consumer Guide Automotive (em inglês)]. Acelerar e freiar de forma muito abrupta pode, na verdade, reduzir sua economia de combustível; deste modo, pegue leve nos freios e no acelerador.

10. Desligue as luzes quando não estiver na sala e tire da tomada os fios dos utensílios domésticos quando não estiverem sendo utilizados. Leva apenas um segundo para ficar consciente em relação ao meio ambiente.

Então galera se liguem e ajudem a preservar   nosso meio ambiente,nosso planeta e a nossa  Terra!!!

Fonte:UOL blog energia e conservação

BY:Jack Araújo!!!

Dez Mandamentos da Queimada Controlada

14/07/2010

Ví esses “mandamentos” num site e achei bem bacana! Se todo mundo os seguissem, com certeza esses desastres ecológicos tão comuns hoje em dia, não seríam tão prejudiciais ao ambiente.

Para se queimar com racionalidade, é preciso seguir os Dez Mandamentos da Queimada Controlada.

1 – Obter autorização do Ibama para queima controlada. Documentos necessários: a) Comprovante de propriedade ou de justa posse do imóvel onde se realizará a queima; b) Cópia da autorização de desmatamento quando legalmente exigida; c) Comunicação de queima controlada.

2 – Reunir e mobilizar os vizinhos, para fazer queimada controlada e em mutirão, de maneira que um possa ajudar o outro. Assim, o calor será menor e o solo será menos impactado com a temperatura.

3 – Evitar queimar grandes áreas de uma só vez, pois as distâncias dificultam o controle do fogo.

4 – Fazer aceiros, observando as características do terreno e altura da vegetação. Em terreno inclinado, o fogo se alastra mais rapidamente, devendo-se construir valas na parte mais baixa, para evitar que o material em brasa saia da área queimada. A largura dos aceiros deve ser 2,5 vezes a altura da vegetação em regiões de pastagens e/ou Cerrado ou, no mínimo, 3 metros, para o caso de queima controlada.

5 – Limpar completamente o aceiro, sem deixar restos de folhas ou paus, de qualquer natureza, no meio da faixa.

6 – Prestar atenção à força e direção do vento, à umidade e às chuvas. Só queimar quando o vento estiver fraco. Nunca comece um fogo na direção contrária dos ventos. Inicie no sentido dos ventos. Se a queima for realizada após as primeiras chuvas, é possível evitar o risco de o fogo escapar e evitar os danos causados pelo acúmulo de fumaça no ar.

7 – Queimar em hora fria. De manhã cedo, no final da tarde, ou à noitinha, é mais seguro, pois a temperatura é mais baixa e a vegetação está mais úmida.

8 – Nunca deixe árvores altas, sem serem cortadas, no meio da área a ser queimada. Elas demorarão a queimar, permitindo que o vento jogue fagulhas à distância, provocando incêndios em áreas vizinhas, sobretudo, se forem pastagens.

9 – Permaneça na área da queimada, após o fogo, pelo menos, por duas horas, a fim de verificar se não haverá pequenos focos de incêndio, na vizinhança, provocados pelos ventos.

10 – Tenha sempre disponível, para ser utilizado, em caso de ter de controlar o fogo, o seguinte material: a) enxada; b) abafador; c) foice; d) bomba costal; e) baldes com água.

Fonte: http://www.jperegrino.com.br; portalsaofrancisco.com.br

Post by: Alzira Farias

Beijos.

As baleias e os golfinhos dormem?

13/07/2010

É impressionante como cada animal dorme de maneira diferente. Alguns animais, como os humanos, dormem em uma longa sessão. Outros animais, os cães, por exemplo, gostam de dormir em curtos períodos. Alguns dormem durante a noite, outros dormem durante o dia.As vacas podem dormir de pé,mas só sonham quando estão deitadas.Já as baleias e os golfinhos precisam respirar consciente,por isso,cada metade do cérebro dorme em momentos diferentes uma da outra já que uma precisa estar ativa para a respiração.

As baleias  e os  golfinhos são mamíferos; portanto, em vários aspectos, eles são como os humanos,certo?Entre outras coisas, eles têm estrutura óssea similar à nossa, sangue quente, e dão à luz a “bebês”.

As maiores diferenças entre estes animais e os seres humanos estão relacionadas aos seus respectivos ambientes. Baleias e golfinhos têm um sistema respiratório diferente que permite que passem longos períodos de tempo (às vezes 30 minutos ou mais) debaixo d’água, sem inalar oxigênio.

Em terra, os seres humanos e outros mamíferos respiram involuntariamente: Se não decidirmos respirar ou não, nosso corpo captará o ar automaticamente. Como vivem em um ambiente submarino, baleias e golfinhos precisam ser respiradores conscientes: Têm de decidir quando respirar. Conseqüentemente, para respirar precisam ser conscientes. O problema está aí, já que cérebros de mamíferos precisam entrar em um estado inconsciente de tempos em tempos para funcionar corretamente.

Os golfinhos têm muito tempo para tirar uma soneca entre suas viagens à superfície do oceano, claro, mas não é uma opção viável. Quando se é um respirador consciente, é impossível ficar completamente inconsciente – e se você não acorda a tempo? A solução para baleias e golfinhos é deixar metade do cérebro dormir enquanto a outra permanece acordada. Assim, o animal nunca está completamente inconsciente, mas ainda assim tem o repouso necessário.

Cientistas estudaram este fenômeno em golfinhos, usando aeletroencefalografia. Neste processo, eletrodos presos à cabeça medem os níveis de eletricidade no cérebro. Os eletroencefalogramas (EEGs) dos cérebros dos golfinhos mostram que no ciclo do sono, metade do cérebro do golfinho de fato “desliga” enquanto a outra metade ainda está ativa. Os pesquisadores observaram que os golfinhos ficam neste estado por aproximadamente oito horas por dia.

Não sabemos como eles se sentem neste estado de repouso, mas podemos adivinhar. É provavelmente algo como o estado de semiconsciência que experimentamos quando começamos a dormir. Ficamos muito próximo da falta de consciência, mas ainda estamos cientes o bastante do que acontece à nossa volta para acordarmos por completo se precisarmos.

E onde as baleias e os golfinhos dormem? Eles provavelmente poderiam dormir em qualquer lugar, mas faz mais sentido se eles dormirem próximos à superfície do oceano para que possam subir para respirar com mais facilidade. É comum ver os golfinhos nadando devagar na superfície, com muito pouco movimento. Aparentemente, estes golfinhos estão em repouso.

FONTE:Blog Uol Ciência

BY:Jack Araújo!!!